Archive for outubro, 2012

Faculdade Senai de Tecnologia Gráfica – Calendário Apresentações TCC

10/dez
19:30 Paula / Lucas / Rodrigo
20:30 Barbara / Gilmar / Rafael
21:30 Rafael
11/dez
19:30 Jefferson / Rafael / Wellington
20:30 Gleidson
21:30 Bruno / João / Vitor / Kauan
12/dez
19:30 Fernando
20:30 Humberto / Fernando
21:30 Camila / Keila / Gabriel
13/dez
19:30 Camila / Vitor / Igor
20:30 Carolina / Sara / Viviane
21:30 Paulo / Donizete / André / Guilherme

30/10/2012 at 3:37 PM Deixe um comentário

Palestra na Faculdade Senai de Tecnologia Gráfica

29/10/2012 at 1:28 PM Deixe um comentário

Workshop ABTG – Planejamento Estratégico – Flávio Botana e José Pires de Araujo Jr

Não Percam!

Dia 07 de Dezembro – ABTG

26/10/2012 at 9:09 AM Deixe um comentário

Veja as frases do STF sobre o mensalão. Fonte: www. g1.globo.com

Durante quase três meses, o país acompanhou o julgamento do mensalão. Ao longo desse período, algumas frases ouvidas no plenário do Supremo ajudaram a dar a dimensão histórica do momento.

Onze ministros e muitos momentos para ficar na história.

“Esses fatos estão com as vísceras expostas. Eles gritam. Cegar para essa realidade é golpear a própria sociedade”, afirmou Carlos Ayres Britto, presidente do STF.

“Esse processo criminal revela a face sombria daqueles que, no controle do aparelho de estado, transformaram a cultura da transgressão em prática ordinária e desonesta de poder”, definiu o ministro Celso de Mello.

“O dinheiro é para o crime o que o sangue é para veia. Ou seja, se não circular com volume e sem obstáculo, não temos esquemas criminosos como esses”, avaliou a ministra Cármen Lúcia.

“A entidade bancária serviu de verdadeira lavanderia de dinheiro para se cometer um crime que não está nem previsto, mas esse deveria ser o nome: gestão tenebrosa, pelos riscos que acarreta e pelas consequências que acarreta à economia popular”, disse o ministro Luiz Fux.

Discussão, argumentos, teses jurídicas e muita inspiração. Na música:

“Dormia a nossa pátria mãe tão distraída, sem perceber que era subtraída em tenebrosas transações”, disse Roberto Gurgel, procurador-geral da República.

Inspiração no paladar:

“Nordestinamente, eu diria, é isso mesmo, gosto de jiló, gosto de mandioca roxa, gosto de berinjela crua. Ou seja, algo de vinagre, algo de féu, fica no céu da boca do magistrado, que se vê na obrigação de condenar alguém”, comparou Ayres Britto.

Foram mais de 200 horas de julgamento. Do plenário, saíram também lições que vão ecoar por toda a sociedade brasileira.

“Agentes públicos que se deixam corromper, qualquer que seja sua posição, são eles corruptos e corruptores, os profanadores da República, os subversivos da ordem institucional. São eles os delinquentes, marginais da ética do poder”, definiu Celso de Mello.

“Nenhum juiz verdadeiramente digno da sua vocação condena ninguém por ódio”, afirmou o ex-ministro do STF Cezar Peluso.

“O estado brasileiro não tolera o poder que corrompe e nem admite o poder que se deixa corromper”, comentou Celso de Mello.

“Corrupção significa não que alguém foi furtado de alguma coisa, mas que uma sociedade inteira foi furtada pela escola que não chega, pelo posto de saúde que não se tem. Eu acho que esse julgamento dá exatamente o testemunho de que o estado de direito, a política é, sim, necessária para qualquer lugar deste planeta”, declarou Cármen Lúcia.


LINK DA NOTÍCIA
http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2012/10/fatos-estao-com-visceras-expostas-veja-frases-do-stf-sobre-mensalao.html?utm_source=g1&utm_medium=email&utm_campaign=sharethis

24/10/2012 at 1:09 PM Deixe um comentário

“Newsweek” anuncia fim da versão impressa

A revista americana “Newsweek” anunciou hoje que vai lançar sua última edição impressa no dia 31 de dezembro, depois de 80 anos nesse formato. A iniciativa completa a transição da revista para um formato totalmente digital, a partir do início de 2013. O anúncio foi realizado por Tina Brown, editora-chefe e fundadora da Newsweek Daily Beast Company, por meio de comunicado.

Segundo Tina, a versão digital da publicação apostará em um modelo de assinaturas pagas e será oferecida na internet e por meio de dispositivos como leitores eletrônicos e tablets. A editora afirmou que o site “The Daily Beast” – que reúne conteúdo da Newsweek desde a fusão das duas operações, em 2010 – registra atualmente mais de 15 milhões de visitantes únicos por mês, um crescimento de 70% em relação ao ano passado.

Ao mesmo tempo, a executiva disse que a empresa tem sido cada vez mais afetada pelo ambiente desafiador da publicidade nos negócios impressos, enquanto a versão on-line da revista tem crescido rapidamente por meio de lojas de aplicativos de parceiros como Apple, Amazon e Barnes & Noble. “Na nossa opinião, chegamos a um ponto de inflexão no qual podemos ser mais eficientes e eficazes no alcance de nossos leitores no formato totalmente digital”, afirmou Tina.

(Moacir Drska | Valor)

http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/valor/2012/10/18/newsweek-anuncia-fim-da-versao-impressa.jhtm

23/10/2012 at 2:58 PM Deixe um comentário

Vida e carreira: um equilíbrio possível? – Texto do brilhante Mario Sérgio Cortella (Fonte: www.hsm.com.br)

Em artigo, Mário Sérgio Cortella introduz o tema que apresentará na Estação de Conhecimento CBN Young Professionals

 

Gosto demais do que um dia escreveu o britânico Beda, o Venerável, lá no século VIII: “Há três caminhos para o fracasso: não ensinar o que se sabe; não praticar o que se ensina; não perguntar o que se ignora”.

Por isso, uma carreira a ser “turbinada” exige a capacidade de “ensinar o que se sabe”, isto é, ter permeabilidade e ser reconhecido como alguém que reparte competências, de modo a fortalecer a equipe e demonstrar ambição (querer mais) em vez de ganância (querer só para si, a qualquer custo).

É necessário também “praticar o que se ensina”, de forma a deixar clara a coerência de postura, o equilíbrio entre o dito e o feito, e a disposição para assumir com segurança aquilo que adota como correto.

Por fim, o mais importante, “perguntar o que se ignora”, pois corre perigo aquele ou aquela que não demonstrar que está sempre em estado de atenção (em vez de estado de tensão) para ampliar capacidades e assumir a humildade (sem subserviência) de compreender e viver aquilo que Sócrates, na Grécia clássica, nos advertiu: “só sei que nada sei”, ou seja, só sei que nada sei por inteiro, só sei que nada sei que só eu saiba, só sei que nada sei que não possa ainda vir a saber.

Afinal, os projetos e metas em qualquer organização são apenas um horizonte que funciona especialmente para sinalizar quais são as possibilidades e limites de progressão; no entanto, horizontes não são obstáculos e sim fronteiras.

Performance e “fazer” carreira exige atitude e iniciativa e, por isso, é um “fazer” em vez de ser um “receber”. Construir o equilíbrio das intenções com as condições é prioritário, sempre lembrando que o equilíbrio precisa ser em movimento (como na bicicleta), sem conformar-se com o sedutor e falso equilíbrio que se imagina atingir ao se ficar imóvel.

Em 2007, a Brasilprev pediu-me uma pequena reflexão sobre equilíbrio na vida pessoal e profissional; eu o chamei de “Ô balancê, balancê…”. e agora aqui o retomo.

Balancê? Por incrível que pareça esse termo francês significa, na dança, ficar apenas alternando um pé com o outro, mexendo o corpo para lá e para cá, mas, sem sair do lugar. Quando, em 1936, Braguinha e Alberto Ribeiro compuseram essa marchinha de carnaval, não poderiam supor que mais de 70 anos depois alguns de nós usaríamos a última estrofe como uma lamentação estagnante do desequilíbrio entre vida profissional e vida pessoal: “Eu levo a vida pensando / Pensando só em você / E o tempo passa e eu vou me acabando / No balancê, balancê”.

“Acho que estou precisando colocar as coisas na balança e ver como consigo lidar melhor com a minha vida no trabalho e a minha vida particular.” Tem ouvido muito isso? Tem pensado muito nisso? Ainda bem; é sinal de sanidade. Qualquer perturbação que abale a integridade e autenticidade do que se vive é perniciosa. Todas as vezes nas quais se tem a sensação de se ser “dois”, isto é, de existir de forma dividida, desponta o perigo de se ter de escolher um entre ambos e relegar o outro.

A questão vital não é dividir-se, mas, isso sim, repartir-se. Pode parecer óbvio: quando se divide, há uma diminuição; quando se reparte, há uma multiplicação. Em outras palavras: se me divido entre duas atividades, vem sofrimento; se me reparto, vem equilíbrio.

Não por acaso, a palavra “equilíbrio” está ligada à ideia de pesar, avaliar, aferir e, portanto, colocar na balança. A expressão latina “aequilibrium” tem a sua origem em equ (igual) e libra (balança).

Balancear as dimensões vitais favorece uma mente sadia; afinal, a vida profissional é parte da vida pessoal, e não toda ela.  Não deve pesar mais, nem menos. Terá a gravidade (em múltiplos sentidos) que for obtida pelo honesto valor que a ela for atribuído.

O que não dá é ficar só balançando sem sair do lugar; harmonia é construção planejada e persistente, em vez de pura espera.

Para que harmonia, então?

Como um dia desenvolvi no meu livro Qual é a Tua Obra? (Inquietações Propositivas sobre Gestão, Liderança e Ética) publicado pela editora Vozes:  Cuidado, a vida é muito curta para ser pequena. É preciso engrandecê-la.

E, para isso, é preciso tomar cuidado com duas coisas: a primeira é que tem muita gente que cuida demais do urgente e deixa de lado o importante. Cuida da carreira, do dinheiro, do patrimônio, mas deixa o importante de lado. Depois não dá tempo. A segunda grande questão é gente que se preocupa muito com o fundamental e deixa o essencial de lado.

O essencial é tudo aquilo que não pode não ser: amizade, fraternidade, solidariedade, sexualidade, religiosidade, lealdade, integridade, liberdade, felicidade. Isso é essencial.

Fundamental é tudo aquilo que te ajuda a chegar ao essencial. Fundamental é a tua ferramenta, como uma escada. Uma escada é algo que me ajuda a chegar a algum lugar. Ninguém tem uma escada para ficar nela. Dinheiro não é essencial. Dinheiro é fundamental. Sem ele, você tem problema, mas ele, em si, não resolve. Emprego é fundamental, carreira é fundamental.

O essencial é o que não pode não ser. Essencial é aquilo que faz com que a vida não se apequene. Que faz com que a gente seja capaz de transbordar.

Repartir vida. Repartir o essencial, a amizade, a amorosidade, a fraternidade, a lealdade. Repartir a capacidade de ter esperança e, para isso, ter coragem.

Coragem não é a ausência de medo. Coragem é a capacidade de enfrentar o medo. O medo, assim como a dor, é um mecanismo de proteção que a natureza coloca para nós. Se você e eu não tivermos medo nem dor, ficamos muito vulneráveis. Porque a dor é um alerta e a dor nos prepara. É preciso coragem para que a nossa obra não se apequene. E, para isso, precisamos ter esperança.

E, como dizia o grande Paulo Freire, “tem de ser esperança do verbo esperançar”. Tem gente que tem esperança do verbo esperar. E esperança do verbo esperar não é esperança, é espera. “Ah, eu espero que dê certo, espero que resolva, espero que funcione.” Isso não é esperança.

Esperançar é ir atrás, é se juntar, é não desistir. Esperançar é achar, de fato, que a vida é muito curta para ser pequena. E precisamos pensar se estamos nos dedicando ao importante em vez de ao urgente.

Tem gente que diz: “Ah, mas eu não tenho tempo”. Atenção: tempo é uma questão de prioridade, de escolha. Quando eu digo que não tenho tempo para isso, estou dizendo que isso não é importante para mim. Cuidado, você já viu infartado que não tem tempo? Se ele sobreviver, ele arruma um tempo. O médico dizia “você não pode fazer isso, tem de andar todo os dias”. Se ele infartar e sobreviver, no outro dia você vai vê-lo, às 6 horas da manhã, andando. Se ele tinha tempo, que ele teve de arrumar agora, por que não fez isso antes? Você tem tempo? Se não tem, crie. Talvez precisemos rever as nossas prioridades.

Será que estamos cuidando do urgente e deixando o importante de lado? Será que não estamos atrás do fundamental, em vez de ir em busca do essencial?

Portal HSM

18/10/2012 at 9:25 AM 1 comentário

Curso ABTG – “Gestão com Qualidade para a Indústria Gráfica” – Flávio Botana – 20 e 27 de Outubro

Nos próximos dias 20 e 27 de outubro estarei dando mais um curso na ABTG.

Gestão com Qualidade para a Indústria Gráfica

Acho que é uma boa oportunidade para discutirmos alguns conceitos de gestão e para formular de forma simples e prática uma estratégia de trabalho para a empresa.

Inscrições no site da ABTG: http://www.abtg.org.br

ou no telefone: (11) 2797 6728 com Thiago

Apareçam!!!

09/10/2012 at 3:45 PM 1 comentário

Posts antigos


outubro 2012
D S T Q Q S S
« set   nov »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
Participe com seus comentários!!! Divulgue o blog!! Vamos criar mais um fórum de debates da indústria gráfica!

Tópicos recentes

Feeds