O VILÃO É O BOI, NÃO O PAPEL!! (Minha homenagem atrasada ao Dia do Gráfico)

08/02/2012 at 12:47 PM 1 comentário

Vamos colocar o dedo em uma velha ferida! Há mais de uma década a indústria papeleira tem sido apontada (injustamente) como um dos grandes vilões, quando o assunto é a preservação do meio ambiente. Pois vamos analisar de fato a questão.

Certamente você já deve ter recebido aqueles e-mails, onde abaixo da assinatura do remetente há uma singela mensagem dizendo: “Antes de imprimir, pense na sua responsabilidade com o Meio Ambiente”. Esta idéia é bastante equivocada e ingênua, associando a produção de papel com a destruição de florestas. Pois saiba que a realidade é muito diferente.

Segundo dados da Abigraf e de outras entidades do setor, 100% do papel utilizado para impressão no Brasil provém de áreas reflorestadas, além da reciclagem que agora é um fato em, praticamente, todo o globo.

Em 2007, um sério e alarmante estudo do Dr Rajendra Pachauri, presidente do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC), veio a público e apontou a maior causa do efeito estufa: a produção mundial de carne bovina. Isso mesmo! A pecuária é a verdadeira responsável, mais do que todo o setor de transporte do mundo, pelo aumento no buraco da camada de ozônio e pelo efeito estufa. Graças a isso, o Dr Rajendra dividiu o Prêmio Nobel da Paz daquele ano, com o próprio Al Gore, que também vem apontando causas para o desastre ecológico que está destruindo o nosso planeta.

Segundo estudos recentes, cerca de dois terços da área cultivável do mundo está destinada à pecuária. O que representa a devastação de florestas para criação de pastos, cada vez maiores, para atender ao crescente consumo mundial de carne. Ocorre que, ao derrubar florestas, o mato colocado em seu lugar não consegue produzir a mesma quantidade de oxigênio, nem tampouco filtrar uma ínfima parte do gás carbônico que era processado pela mata original. Além disso, o mato rasteiro faz com que a temperatura mundial suba, pois não consegue refrigerar o ar, tal como ocorre com áreas cobertas por árvores de grande porte.

Mas o mais impressionante ainda está por vir…

Um único boi, solto no pasto, produz cerca de cinco toneladas de CO2, todos os anos. E este número inclui a flatulência, os restos da ruminância e, naturalmente, as fezes que continuamente produzem metano. É o mesmo que dizer que um único animal solta na atmosfera o equivalente ao peso de dez carros populares em termos de poluição.

E como nunca se soube disso?

Imaginem que o lobby da indústria da carne e da indústria de leite e seus derivados têm feito o possível para relativizar estes dados. Em números totais, são indústrias muito maiores do que as produtoras de papel e celulose, tendo muito mais poder e influência junto aos governos e toda a sociedade.

Não se quer colocar a questão de modo simplista, fazendo com que a carne seja colocada contra o papel. Não se trata disso. É preciso que cada pessoa saiba que, ao consumir um delicioso bife, está afetando a natureza muito mais do que estaria ao usar o papel para se comunicar.

É um raciocínio simples: para produzir papel florestas são plantadas, muitas vezes em áreas que haviam sido destruídas pelo manejo precário e pela erosão. Tais florestas produzem oxigênio e contribuem para reduzir a temperatura do planeta. Isto é, elas neutralizam qualquer carbono que é resultante da fabricação do papel. E ainda há um excedente de oxigênio no processo. Esteja certo disso.

Mas é possível produzir carne, sem que esta tragédia aconteça. Experiências nos Estados Unidos, Canadá e Europa, comprovam que o manejo confinado de bovinos preserva florestas e permite que o metano gerado seja captado como forma de energia alternativa. Basta que haja boa vontade e investimento que muitos pecuaristas não estão dispostos a fazer.

E é isso justamente o que tem feito a indústria papeleira durante todo esse tempo, buscando alternativas e produzindo papel de modo consciente e sustentável.

Portanto, se você trabalha com comunicação, design e artes gráficas, pode ficar tranqüilo e continue produzindo impressos. Mas reduza o número de amigos que chama para comer aquele churrasco, ok?

Aliás, faça mais. Coloque no final de suas mensagens de e-mail a frase: Pode imprimir, que ajuda o meio ambiente e cria mais empregos!

Como dica adicional, plante ao menos uma árvore neste ano, pois você sozinho, precisa de duas árvores grandes para neutralizar o carbono produzido por sua própria respiração.

Anúncios

Entry filed under: Gráfica.

Recursos Humanos: Braskem aposta em autonomia e confiança. Marcelo Arantes. (Fonte: hsm.com.br) André Lara Resende: ‘Temos que rever o que consideramos progresso’. Entrevista para O Globo – Texto Liane Thedim ( Fonte: ogobo.globo.com)

1 Comentário Add your own

  • 1. SL  |  08/02/2012 às 1:10 PM

    E foi muito boa a homenagem!
    A indústria papeleira além de ser injustiçada procura melhorar suas práticas, enquanto se investe em exportação de carne bovina por aí a fora.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


fevereiro 2012
D S T Q Q S S
« jan   mar »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
26272829  
Participe com seus comentários!!! Divulgue o blog!! Vamos criar mais um fórum de debates da indústria gráfica!

Tópicos recentes

Feeds


%d blogueiros gostam disto: