Redefinindo desperdício na Indústria Gráfica –(Fonte: Impressão Lean – Trajetória para o Sucesso – Heidelberg)

31/08/2011 at 10:29 AM Deixe um comentário

Conceito de Perdas dentro dos princípios da “Produção Enxuta” (Lean Production)

São oito os geradores de perda:

1) Super Produção: Produzir mais do que o cliente pede

2) Inventário: Inventários de matéria prima, material acabado e em processo de fabricação representam perda em um ambiente Lean. Produções antecipadas, ao invés de subsequentes operações, exigem inventário desnecessário de produtos e perda de recursos (capital, espaço, recursos humanos)

3) Excesso de Processamento: Produção que exija mais recursos do que o cliente pede. A maioria dos processos de fabricação são variações do “modo como sempre foi feito”, desperdiçando-se mais tempo nesses fundamentos. As indústrias raramente questionam se cada passo agrega valor ao cliente.

4) Movimento: Usam mais movimentos do que é necessário para se criar o produto. É interessante ficar parado no meio da linha de produção e observar a atividade acontecendo. Quantos funcionários estão movimentando material de um lugar para outro, apressadamente, com empilhadeiras? Quantos funcionários estão a procura de instruções, peças ou algo assim? Qual a distância que o funcionário percorre para executar sua função? Quais atividades observadas realmente agregam valor ao produto do cliente?

5) Defeito: Esta tradicional perda é entendida por todos. Defeitos são particularmente danosos quando chegam ao cliente. E quanto mais tarde são descobertos, mais recursos são consumidos no ciclo de produção, já que o valor subsequente foi incorporado ao produto.

6) Tempo de Espera: Tempo gasto pelos funcionários, esperando por produtos de processos prévios é perda. A manufatura Lean foca na fluidez de produção a fim de minimizar tempos de espera.

7) Transporte: Movimentar ou transportar produtos de um lado para o outro não agrega valor. Layouts ineficientes, excesso de produtos e inventário, são todos adicionados ao transporte, e são perdas.

8 ) Recursos subutilizados: Esses recursos podem ser humanos ou técnicos, que não são plenamente utilizados ou ocupados. Falhar em capacitar sua força de trabalho e soltar a força criativa deles é um bom exemplo deste tipo de perda. A existência de excesso de capacidade de máquinas é outro exemplo de perda nesta categoria.

Fonte: Livro Impressão Lean – Trajetória para o Sucesso.
Print Media Academy – Heidelberg

Anúncios

Entry filed under: Gestão, Gráfica.

Controle de Processos 1 – CTPR1 – 5º Semestral – Notas de Aula – Teoria das Restrições Criatividade!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


agosto 2011
D S T Q Q S S
« jul   set »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
Participe com seus comentários!!! Divulgue o blog!! Vamos criar mais um fórum de debates da indústria gráfica!

Tópicos recentes

Feeds


%d blogueiros gostam disto: