Trabalhador sem qualificação vira artigo de luxo no Brasil – Texto de Eva Rodrigues

20/09/2010 at 10:36 AM Deixe um comentário

Colaborou Simone Cavalcanti de Brasília

O Brasil vive na atualidade um paradoxo ao registrar uma taxa de desemprego ainda alta – 12,4% em julho, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Isso ocorre ao mesmo tempo em que se intensificam as preocupações em torno de escassez de mão de obra, do menor ao maior grau de qualificação, em sintonia com as boas perspectivas de crescimento nos próximos anos.
O chamado apagão de mão de obra, termo que pode soar excessivo ainda, mostra de toda forma que já se constata grande descompasso entre oferta e as reais demandas de empresas de diferentes áreas.
Para dar fôlego ao setor privado, em especial varejista, o governo avalia estabelecer novas regras e incentivos para a contratação de trabalhadores por tempo determinado, como um mecanismo de contratação rápida e temporária de aposentados e estudantes.
A ação está sendo gestada sob sigilo, segundo disse integrante do governo ao Brasil Econômico. O problema foi levado ao ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, durante reunião, entre outros, com Maria Luiza Trajano, presidente do Magazine Luiza e membro do Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV). Foi-lhe entregue sugestão de Medida Provisória (MP). Nenhuma das partes quer se pronunciar sobre o assunto.
Para se ter uma ideia, somente na cidade de São Paulo, o Centro de Apoio ao Trabalhador (CAT) registrou alta de 32,2% nas vagas ofertadas de janeiro a agosto deste ano: foram 101.694 postos ante 76.909 do mesmo período de 2009.
Entre aspectos ligados à falta de aptidão, falta de experiência ou qualificação específica, o CAT tem vagas abertas de operador de telemarketing, atendente de lanchonete, cozinheiro, pedreiro, vendedor e eletricista, entre outras.
Para entender um pouco da questão da oferta de mão de obra hoje é preciso retornar aos anos 1990, cenário marcado por uma economia instável e de crescimento medíocre.
Na época houve a desmobilização dos cursos profissionalizantes movida pela crença de que os postos formais de trabalho seriam escassos no futuro e que as ocupações técnicas na indústria dariam lugar a postos no setor de serviços.
“Essas verdades dos anos 1990 já não valem para uma economia que hoje, além de estável, vai crescer no patamar de 7% e tem um mercado de trabalho com demandas em todos os setores e níveis de qualificação. De qualquer maneira, pagamos hoje o preço da política de desmobilização na formação de pessoas ocorrida na década de 1990”, diz o diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz.
A alta demanda, no entanto, se depara com situações peculiares no contingente de potenciais trabalhadores. Há uma parcela da população que está há décadas excluída do mercado de trabalho e de consumo, sem projeto profissional, e que não encontra espaço nem mesmo em ocupações básicas.
“Mesmo um atendente precisa de qualificação mínima para se relacionar, precisa saber escrever ou digitar um pedido no computador de mão”, observa Ganz.
Outra dificuldade diz respeito à pessoa que encontrou alternativa de trabalho no mercado informal – trazê-la para a formalidade é um processo complexo.
“Para quem tem um pequeno negócio informal, mudar para um emprego formal está diretamente ligado às condições de trabalho oferecidas. Se não houver uma vantagem mínima ele não vai querer a troca”, avalia o diretor do Dieese.
Historicamente com uma estrutura de formação educacional voltada para humanidades, hoje o Brasil se vê às voltas com a falta de engenheiros, por exemplo, justamente por conta da alta demanda da construção civil.
“O Brasil tem excesso de profissionais como advogados, mas forma menos engenheiros do que a Coreia do Sul”, diz a economista do Santander, Luiza Rodrigues.
09/09/2010

Anúncios

Entry filed under: Geral.

NYT (New York Times) admite fim do papel – Texto de Renato Cruz – (Blogs do Estadão) Instruir para construir – Texto de Denis Mello (HSM Online)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


setembro 2010
D S T Q Q S S
« ago   out »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
Participe com seus comentários!!! Divulgue o blog!! Vamos criar mais um fórum de debates da indústria gráfica!

Tópicos recentes

Feeds


%d blogueiros gostam disto: