Nós escrevemos muito mal!

12/10/2009 at 9:10 AM 6 comentários

Estou corrigindo as provas que realizamos na semana passada, e mais uma vez, me deparo com os problemas da comunicação escrita.

Vejo ainda muitos, mas muitos mesmo, erros grosseiros de português. Devemos evitar escrever palavras que não temos certeza se estão certas. Vamos procurar sinônimos, vamos procurar escrever o que pensamos de outra forma, ou usemos um dicionário (o que seria complicado na prova!).

Não esqueci que levei uma “bronca” dos meus alunos do 1o semestral por não ter acentuado a palavra “líder” no texto da prova. Eles estão certos. Eu não poderia ter cometido aquele erro. Mas o nível dos problemas que tenho encontrado é bem pior.

Um outro aspecto tão ou mais grave que o anterior é a dificuldade que alguns alunos têm de expressar as suas idéias. Muitas vezes dá para se perceber que os alunos conhecem do assunto que está sendo tratado, mas não conseguem demonstrar de forma clara e concisa o que estão pensando. Isso é muito grave! Todos nós temos que nos expressar através da linguagem escrita, principalmente no mundo profissional, e devemos constantemente estar nos aprimorando no processo de escrever.

O que sempre precisa ser dito é que a melhor forma de melhorar a escrever é ler muito. O exercício de ler, além da melhoria óbvia de aumentar a nossa cultura, nos leva a conviver com a nossa língua e, certamente, na próxima vez que precisarmos escrever alguma coisa, ela ficará um pouco melhor.

Portanto, leiam e leiam muito!

Talvez vocês encontrem novos erros nos meus textos! Tudo bem. Eu continuo a cometer meus erros, mas acho que sempre devemos procurar a perfeição no que se refere à nossa capacidade de escrever um bom texto.

Anúncios

Entry filed under: Debates, Geral, Senai.

Análise da Prova de Gestão da Qualidade realizada em 08/10/2009 Saiu na Veja desta semana: E-books

6 Comentários Add your own

  • 1. Rodrigo Oliveira  |  13/10/2009 às 4:14 PM

    Poderá soar como desculpa, mas tive muitas dificuldades de responder sua prova, por ser a primeira vez que tive contato com uma prova em que as respostas eram minha opinião, todas as outras a resposta é aquela que o professor quer ler, outra dificuldade é que eu li as outras provas de outros cursos que estavam no seu blog, isso me deixou muito “travado”. Acredito que a próxima prova vai fluir bem mais fácil, tenho facilidade para escrever e gosto muito de fazê-lo. Repito não gostaria que entendesse como desculpa, digo que serviu como grande experiência.

    Responder
  • 2. Rodrigo Oliveira  |  13/10/2009 às 6:25 PM

    Para colocar lenha na história, as delegacias da cidade de São Paulo passarão a ter um novo sistema de atendimento, onde para fazer um boletim de ocorrência o próprio solicitante deverá redigi-lo. Sabendo da dificuldade do brasileiro de escrever imagine a qualidade dos boletins de hoje em diante. Outro porém é o fato do estresses do momento em que estaremos fazendo o BO, nunca é um momento bom, o problema se agrava ainda mais.

    Responder
  • 3. Luana  |  14/10/2009 às 12:03 PM

    Gostaria apenas de concordar com o Rodrigo.
    Talvez a dificuldade de expressão tenha vindo da novidade de uma prova em que o foco era a nossa ‘opinião’ estamos mesmo mecanizados a selecionar a resposta e não pensar na pergunta e ao mesmo tempo redigir a resposta.
    Que possamos contar com você Botana, para continuar a preparação do caminho para andarmos sozinhos.

    Responder
  • 4. Marisa  |  22/10/2009 às 4:49 PM

    Concordo com você Botana, e é fato: muitas pessoas têm dificuldade em escrever porque não têm o hábito de ler. Simples assim. Não digo que são culpadas, mas simplesmente não tiveram ao longo da vida o hábito de ler cultivado como o de escovar os dentes, por exemplo.

    Particularmente tenho notado que nos últimos tempos, tenho tido dificuldade em conversar de forma séria e coerente. Não, não riam, quem me conhece sabe que eu sou palhaça. Mas, chega na hora de falar sério e corretamente, dá um frio na barriga. E tudo porque eu convivo muito com pessoas de escolaridade baixa, que tem uma cultura, uma vida longe de se ter hábitos de leitura, que as músicas que costumam ouvir é funk. Nada contra. Mas eu convivo com essas pessoas e me sinto muito estranha se converso “certinho” com eles. Não dá.
    Aí isso se reflete quando preciso conversar “direito”. Rs… Hoje em dia é assim, precisamos dançar de acordo com a música, mas tomar cuidado pra não emburrecer junto com a maioria.

    Responder
  • 5. Vinicius Cavalcanti  |  23/10/2009 às 3:59 PM

    Com certeza a “analfabetização” que foi embutida juntamente com programas de mensagens instantâneas como MSN, ICQ, Orku … faz com que, cada vez mais, as pessoas (grande maioria), regridam perante a escrita “formal” seja deixada de lado, e se incorpore aquelas “abreviaçõeszinhas” – abç / bju / fds / fdc- que brotam como “feijão em dia de chuva”, e com isso torna-se indispensável aquela “ajudinha” do corretor ortográfico e infelizmente a cada dia é mais visível a “REGREÇÃO”.

    Responder
  • 6. Robson Carvalho  |  30/10/2009 às 1:23 AM

    Aumentar as aulas da Maria Claudia… eu falava isso em 2004 quando terminei o primeiro semestre. Dominar a comunicação é fundamental, não há alternativa!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


outubro 2009
D S T Q Q S S
« set   nov »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Participe com seus comentários!!! Divulgue o blog!! Vamos criar mais um fórum de debates da indústria gráfica!

Tópicos recentes

Feeds


%d blogueiros gostam disto: